UMA Medida

Dra. Tathiana Parmigiano, Ginecologia e Obstetrcia

Publicado em 16/02/2023 - Atualizado em 25/07/2024



Um número. Um percentual de gordura. Uma medida. 

Cada vez mais essas variáveis afetam a vida de mais e mais mulheres.

Ter uma meta em relação às medidas corporais não é o problema. Ao contrário, pode ser muito saudável. O problema é como essa meta é estipulada. E por quem.

Muitas vezes, um “peso” é almejado sem que uma avaliação seja feita. O olhar de ninguém determina quanto uma pessoa tem que pesar. Nem de um técnico, um parente, nem o nosso olhar no espelho pode determinar esse número.

“Peso”, aliás, é uma medida de muito pouco valor isoladamente já que não leva em consideração a composição corporal da pessoa. Diferentes corpos podem ter o mesmo peso. Não foram poucas as vezes, infelizmente, que atendi mulheres e meninas que vomitavam ou usavam laxantes e diuréticos para atingirem um número na balança. 

Minha ideia é dizer que há medidas mais importantes nas nossas vidas. A composição corporal é uma delas – mas vai muito além do percentual de gordura e só tem valor se avaliada por um bom profissional. Senão, mais uma vez, não passa de um número. Não há valor em se ter um percentual baixo sem saúde. E, isso, tem sido cada vez mais comum. 

A outra, menos conhecida e a mais importante chama-se “disponibilidade energética”. Ela leva em consideração seu consumo nutricional e gasto calórico, incluindo seu metabolismo basal (energia que mantem suas atividades vitais) e o que gasta em treinos e atividades diárias. A disponibilidade energética é essencial para sua saúde física e mental. Está relacionada a sua resposta a treinos, número de lesões. Coordenação, concentração. Afeta diretamente seu humor. Assim, pode afetar sua vida pessoal, social e profissional. Importante entendê-la não acha?

Busque profissionais que te ajudem a alcançar sua meta.

Quanto a melhor “medida”, acredite que será aquela que te deixará feliz e, acima de tudo, saudável!

 

 

Deixe um Comentário

Comentários: