Queda de cabelo excessiva?

Dra. Adriana Vilarinho, Dermatologia

Publicado em 29/03/2021 - Atualizado em 28/11/2021



A procura por tratamentos capilares aumentou muito nos consultórios de Dermatologia. As queixas cresceram especialmente neste último ano como reflexo da pandemia da COVID-19, seja pelo estresse do “novo normal” ou como um efeito da infecção pelo coronavírus.

Consideramos normal perder até 150 fios de cabelo por dia. Porém, quando a queda é excessiva, está na hora de investigar as causas. A tricologia é a área da Dermatologia que abrange o diagnóstico e tratamento dos distúrbios que afetam essas estruturas, como queda e quebra dos fios, inflamações, infecções e doenças do couro cabeludo.

Costumo explicar aos meus pacientes que a perda de cabelo pode representar a manifestação secundária de outra doença, como alguma afecção na tireoide, anemia, deficiência de vitaminas, doenças reumatológicas, entre outras. Por isso, a avaliação do médico especialista é tão importante.

Com o diagnóstico correto dos sintomas, é possível propor uma rotina individualizada de cuidados no consultório e em casa. Para a maioria dos fatores que desencadeiam a queda de cabelo, pode ser indicado o tratamento com sessões de laser, como o fracionado, que auxilia a melhora do fluxo sanguíneo no couro cabeludo, favorece a melhora da ancoragem do fio, combate a queda e estimula o crescimento.

Além disso, o laser pode ser ou não associado a outros tratamentos como a Intradermoterapia, que consiste na aplicação de medicamentos e vitaminas na derme ou no tecido subcutâneo. O procedimento age diretamente nas raízes dos folículos capilares, auxiliando no espessamento e ganho de volume dos cabelos. Também recomendo o uso de shampoos especiais e loções, além de fórmulas manipuladas adequadas, se necessário.

No Método de Microinfusão de Medicamentos (MMP), são inseridos ativos diretamente no couro cabeludo, com um aparelho com agulhas bem finas. Esse tratamento permite que a absorção dos medicamentos seja mais rápida, uniforme e precisa. Já o Microagulhamento Capilar é realizado com microperfurações no couro cabeludo com agulhas metálicas, para induzir o crescimento dos fios.

Como a queda de cabelo pode ser consequência de vários fatores, podemos aconselhar ao paciente o acompanhamento por outros especialistas. No caso das mulheres, por exemplo, quando há alterações hormonais, há maior chance de perder a densidade dos fios. Por isso, além do tratamento dermatológico, uma conversa com o endocrinologista é indicada. O mesmo ocorre com as alterações da tireoide: sempre importante saber como está a função da glândula, que interfere na saúde capilar. 

Os tratamentos capilares e os excessos de química podem gerar um acúmulo prejudicial de produtos, deixando o cabelo mais frágil e quebradiço. Por isso, deixo uma dica: aplique um protetor térmico antes de usar o secador, sempre a pelo menos um palmo da raiz e mantenha o secador a uma distância de cerca de 15cm, para evitar a queima dos fios.  E, em caso de dúvidas, sempre procure um dermatologista!

Para todas as situações, o olhar especializado do profissional, aliado a equipamentos inovadores e medicamentos mais eficazes, pode reverter quadros mais graves e auxiliar no tratamento de patologias relacionadas ao cabelo.

Deixe um comentário

Comentários:

COPYRIGHT

© BrazilHealth

LINKS IMPORTANTES

Home

Heads

Vídeos e Artigos

Médicos e Outros Profissionais

Parceiros

Contato