Torcicolo Muscular Congênito

HIAE, Ortopedia

Publicado em 21/03/2021 - Atualizado em 04/08/2021



O que é ?

É uma alteração onde a criança mantem a cabeça inclinada para um lado e tem dificuldade de virar para o lado oposto. Geralmente é descoberto entre 6 e 8 semanas de vida.

Pode-se observar ainda uma saliência ou massa no pescoço, que é indolor e está ligada ao músculo do pescoço (esternocleidomastoideo) no lado em que a cabeça está inclinada. A massa em geral regride gradualmente até o quarto ou sexto mês de vida.

Sintomas

A cabeça da criança fica inclinada para um lado e o queixo aponta para o ombro oposto. O lado direito está envolvido em até 75% das vezes. O nódulo é encontrado no músculo e pouco a pouco desaparece. Não há limitação dos movimentos do pescoço. Eventualmente, um dos lados da face e da cabeça pode estar achatado e a criança pode dormir sempre de um mesmo lado.

Causas

Os primeiros filhos são mais propensos a apresentar o torcicolo (e displasia do quadril). Isto se deve provavelmente a pressão intrauterina, uma vez que esse órgão atua como uma “embalagem” para o bebê e devido a uma posição inadequada da cabeça pode haver um dano ao músculo. A massa ou saliência, que não é um tumor, surge como uma resposta à lesão. Como essa pressão desaparece após o parto e a cabeça da criança tende para a posição normal, persistirá apenas a cicatriz no músculo, resultante da tensão exercida pelo posicionamento inadequado. O volume da massa muscular indicará o quão tensionado foi o músculo. Durante a gestação não há método de prevenção conhecido.

Diagnóstico

Caso os pais percebam que seu filho tem a cabeça inclinada para um lado, devem procurar imediatamente o pediatra porque outras condições também causam torcicolo. O exame clínico é a ferramenta mais importante para o diagnóstico, e pode eventualmente ser complementado por radiografias e ultrassonografia.

Imagem – Criança com torcicolo muscular congênito no lado esquerdo do pescoço, onde se percebe a saliência do músculo (seta).

Um dado importante sobre esse problema é que o torcicolo muscular congênito pode estar associado à displasia do quadril em até 10% a 20% dos casos. Por essa razão, os quadris dessas crianças devem ser cuidadosamente examinados e, em caso de suspeita, o exame por ultrassom dos quadris deverá ser solicitado pelo médico.

Tratamento

O tratamento habitual consiste em exercícios de alongamento realizados girando a cabeça para os lados, de maneira que o queixo da criança seja levado a tocar cada um dos ombros e também inclinar a cabeça para tocar as orelhas nos ombros, de forma alternada.

Outras opções que também podem ajudar, como: colocar brinquedos em posição onde a criança terá que virar a cabeça para vê-los; carregar a criança no colo em posição que ela terá que olhar para o lado envolvido do pescoço; colocar a criança na cama com o lado envolvido voltado para a parede, pois isso fará com que ela gire a cabeça para o outro lado.

Aproximadamente noventa por cento das crianças é tratada com sucesso com um programa de exercícios de alongamento. Em 10% das crianças poderá ser necessária uma cirurgia para corrigir o torcicolo. Esta cirurgia consta da secção da parte cicatrizada do músculo, sendo realizada sob anestesia geral, mas que pode ser feita de forma ambulatorial (com internação e alta no mesmo dia).

Fonte: Torcicolo Muscular Congênito: principais informações | Vida Saudável | Conteúdos produzidos pelo Hospital Israelita Albert Einstein

Deixe um comentário

Comentários:

COPYRIGHT

© BrazilHealth

LINKS IMPORTANTES

Home

Heads

Vídeos e Artigos

Médicos e Outros Profissionais

Parceiros

Contato