Tipos de ch: entenda qual o melhor para a sua sade.

Dra. Dai Cavalcanti, Nutrio

Publicado em 20/06/2024 - Atualizado em 25/07/2024



Os chás podem ser uma excelente adição à sua rotina; além de ajudar na hidratação, eles também são importantes componentes da dieta por fornecer nutrientes e compostos bioativos que são benéficos à saúde. Mas não se engane, alguns tipos de chás não devem ser consumidos por longos períodos, por isso o ideal é sempre alternar as ervas e/ou consultar um especialista em nutrição.

Para obter o melhor dos compostos bioativos do chá, é importante respeitar estas regrinhas:

  • Para folhas e flores, deve ser usado o sistema de infusão: ferver a água, desligar o fogo e só depois acrescentar a erva, tampar e deixar por 5 a 10 min.
  • Para as variedades de cascas, raízes e rizomas (gengibre, açafrão da terra, cúrcuma) o processo deve ser de decocção: ferver primeiro a água, acrescentar a casca, raiz ou rizoma, e deixar fervendo por mais 5-10min em fogo baixo.

Estas técnicas ajudam na melhor extração e preservação dos compostos fenólicos que têm ação benéfica ao organismo.

Alguns dos tipos de chás mais estudados e muito utilizados no oriente são os extraídos a partir da planta Camellia Sinensis. Embora tenham teores maiores ou menores de cafeína, possuem ainda uma concentração de um ativo chamado de L-theanina, que ajuda no foco, concentração, sono e imunidade. Nesta categoria estão:

  • Matcha, chá branco, chá verde, chá preto e Oolong.

Todos estes são extraídos da mesma planta, porém as partes de extração, o tempo de cultivo, ação solar, forma de colheita, são alguns dos fatores que interferem na característica e ação de cada um desses chás.


ALGUNS CHÁS E SUAS PROPRIEDADES:

  • Matcha: coloração verde, rico em clorofila, possui muitos compostos anti-inflamatórios, sendo um potente antioxidante
  • Chá Branco e chá verde: embora os tempos de colheita sejam diferentes, eles são extraídos da mesma parte da planta. São ricos em um composto chamado epigalocatequina galato (EGCG), sendo o chá verde mais antioxidante.
  • Chá preto e Oolong: maiores concentrações de cafeína e ricos nos ativos antioxidantes.
  • Gengibre e cúrcuma (rizomas): possuem efeito antiinflamatório. Pessoas com sensibilidade estomacal ou gástrica devem ficar atentas a sintomas de irritação e evitar o consumo excessivo.
  • Canela (casca): ajuda na sensibilidade à insulina, na regulação da glicemia e, quando associado a hibisco e/ou cavalinha, pode ajudar com a retenção de líquido pelo excesso inflamatório, além de possuir ação termogênica.
  • Camomila, erva cidreira e lavanda: potencializadores do sono, ajudam no relaxamento e equilíbrio da ansiedade. Recomenda-se o consumo de 3 a 4 horas antes de deitar.
  • Alfavaca, funcho e espinheira santa: com ação digestiva, esses chás ajudam nas dores de estômago. A espinheira santa não deve ser consumida continuamente, o ideal é sempre alternar com as outras opções e consumir 15 minutos antes de cada refeição.
  • Chá carminativo: ajuda a diminuir os gases. A hortelã tem o mentol, que ajuda a relaxar o músculo liso, reduzindo inclusive cólicas e espasmos musculares, porém não deve ser usado em caso de refluxo – é recomendado o consumo imediato após a refeição.
  • Alcaçuz: seus flavonoides melhoram a função abdominal, estimulam a produção de ácidos biliares e ajudam na digestão de carboidratos, proteínas e gorduras.
  • Chá de saquinho: é recomendado o consumo de marcas de qualidade e confiança, pois algumas podem conter excesso de compostos químicos. Saquinhos biodegradáveis são a melhor opção. Observe o tempo de infusão informado na embalagem, que pode mudar dependendo do tipo de chá.

Atenção à temperatura na hora do consumo! Altas temperaturas podem causar queimaduras na boca, no esôfago e até no estômago.

Agora, é só esquentar sua água, com cautela, e escolher o melhor chá para sua saúde. Bom proveito!

Deixe um Comentário

Comentários: