logo
BrazilHealth
Fazer login
Home  >  Videos e artigos  >  Como lidar com a criança que já está estressada?
Como lidar com a criança que já está estressada?

Dra. Denise Katz, Pediatra
Publicado em 10/09/2018 - Atualizado em 22/09/2018



A infância de hoje não é como a de antigamente. Repetidas vezes questionamos com essa máxima a velocidade e os excessos de compromissos dos tempos atuais, que não estão restritos apenas a vida adulta e já permeiam a infância.  É necessário criar desde cedo uma rotina de responsabilidades para os pequenos, mas qual o limite divide uma rotina saudável do excesso de compromissos que levarão ao estado de estresse? Para a pediatra Denise Katz (CRM 63548-SP), a linha é tênue e é importante que os pais estejam atentos já que esse mal pode trazer riscos para a saúde emocional e física da criança.

“O estresse acontece a partir de reações físicas e psicológicas que causam mudanças químicas no corpo. Elas podem ocorrer tanto a partir de sensações boas como experiências ruins. O excesso de atividades extracurriculares, além de cobrança exageradas e brigas familiares podem não apenas afetar as defesas das crianças como seu comportamento. A infância é composta por anos imprescindíveis para a formação da personalidade e caso ocorra períodos excessivamente estressantes ou traumáticos é possível que aconteça um prejuízo na formação do comportamento e aprendizado da criança”.

Em relação à saúde, a especialista alerta: a incidência de estresse pode trazer prejuízos para a saúde da criança, como: cefaleia, náuseas, distúrbios alimentares e de sono, predisposição para infecções e até prejudicar o desenvolvimento cognitivo.

Mas nem toda frustração é de todo mal. De acordo com a médica é importante que a criança vivencie pequenas insatisfações durante seu crescimento, para aprender a lidar com desafios. O que não pode ocorrer é o excesso, para evitar problemas na infância e consequências na vida adulta como hipertensão, doenças cardíacas e até depressão.

Mas como lidar com a criança que já está estressada?

“Os pais devem estar atentos às mudanças comportamentais da criança como introversão, insegurança, agressividade e desanimo para entender se algo pontual está frustrando o seu filho ou se a rotina dele está desgastante. Caso perceba que os sintomas estão persistindo por mais tempo do que o de costume, é importante entender quais são os fatores estressantes e evita-los. Além de dar apoio e afeto para que a criança entenda que a criança sinta-se mais segura. Ainda é imprescindível buscar ajuda médica e psicológica para minimizar os sintomas do pequeno, explica a especialista”.

Deixe um comentário
Foto
Comentários
BrazilHealth
Mais Lidos
Corte no dedo: O que fazer? - Prof. Dr. Alvaro Cho
O corte no dedo é um dos principais acidentes domésticos do dia-a-dia. Os cortes ocorrem nas mais va...

Diferença entre limpar e umidificar o nariz. - Dr. Paulo Mendes Jr
Você sabe a diferença entre limpar, umidificar e aliviar o nariz? Especialista explica qual o melhor...

O que é Medicina Integrativa? - Editorial
Na contramão da medicina tradicional e ortodoxa, terapias alternativas estão ganhando cada vez mais ...

O PSA após a cirurgia ou a Radioterapia - Dr. Fernando Maluf
Você sabe qual é o valor do PSA que indica a volta do tumor após a cirurgia? Será que o PSA associad...


Relacionados
A saúde bucal do bebê e da criança - Profa. Dra Maria Salete Nahás Pires Corrêa
A Odontopediatria é a área da Odontologia que cuida de bebês e crianças, e desempenha um papel de im...

Câncer de Próstata - Dr. Lucas Nogueira
O Dr. Lucas Nogueira, Coordenador do Grupo de Urologia Oncológica do HC/UFMG, abre essa série especi...

Por que eu deveria procurar um Médico do Esporte? - Dr. Gustavo Magliocca
A Medicina do Exercício e do Esporte é uma especialidade médica, reconhecida pelo Conselho Federal d...

Carcinoma Basocelular: O Câncer de Pele mais comum - Dra. Cristina M. Z. Abdalla
O carcinoma basocelular (CBC) é o tipo mais comum de câncer da pele, sendo que os cânceres da pele c...

BrazilHealth