logo
BrazilHealth
Fazer login
Home  >  Videos e artigos  >  T(D)PM não é frescura!
T(D)PM não é frescura!

Dr. Kalil Duailibi, Psiquiatria
Publicado em 21/05/2018 - Atualizado em 21/08/2018



O período que precede a menstruação é caracterizado pelo surgimento de sintomas psíquicos e físicos, como alteração de humor, irritabilidade e melancolia; além de dores de cabeça, inchaço e fadiga, para uma boa parte das mulheres. Esses sintomas são causados por uma alteração hormonal feminina que age diretamente no sistema nervoso central e gera diversos mal-estares. Porém, em casos mais graves, essa alteração passa de TPM para TDPM, a abreviação ganha apenas uma letra, mas a condição é bem mais complexa.

O Transtorno Disfórico Pré-Menstrual (TDPM) é uma forma grave da Síndrome Pré-Menstrual (SPM), que ocorre quando há pico de estrogênio – geralmente no primeiro dia antes da ovulação – e melhora com a menstruação. A prevalência do TDPM é de 2% a 8% da população feminina fértil e os sintomas do transtorno podem ser tão intensos que trazem prejuízo à rotina da mulher¹? ². De acordo com o psiquiatra Kalil Duailibi, o TDPM tem gravidade comparável à de outros transtornos mentais e não pode ser subestimado.

Estima-se que 1,3% das mulheres tenham prejuízo funcional devido ao TDPM e talvez nem saibam que sofrem do mal², que tem diagnóstico complexo e pode ser confundido com outros dois tipos de transtorno, o depressivo persistente e o bipolar. Para diagnosticar uma paciente corretamente com TDPM, os profissionais de saúde levam em consideração fatores de risco para desenvolvimento da doença, como: estresse, trauma interpessoal, herança genética (entre 30% e 80%), o não uso de contraceptivos orais, além de dois ciclos sintomáticos. 

“Ainda há pouco esclarecimento sobre as causas do TDPM, mas estudos apontam uma interação anormal entre neurotransmissores e hormônios ovarianos. Estes hormônios são capazes de ativar áreas cerebrais como o córtex pré-frontal e as relacionadas à recompensa e ao estresse. E essas ativações vêm sendo relacionadas ao desenvolvimento de sintomas do quadro. A variação do humor, irritabilidade, sintomas de ansiedade e a disforia compõem características fundamentais dessa condição e podem estar associados a sintomas comportamentais e físicos que atingem seu pico perto do início da menstruação, quando em geral começam a se atenuar ou cessam.

O tratamento

O tratamento para o transtorno é feito com correção das alterações hormonais; supressão ovulatória ou com o uso de inibidores seletivos da recaptação de serotonina (ISRS), como o escitalopram”, explica o psiquiatra. 

Caso tenha se identificado com a situação, procure auxílio médico e confirme ou descarte o diagnóstico.

Referência

¹American Psychiatric Association. Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders (DSM-5). Arlington, VA: American Psychiatric Publishing; 2013.

² Baller EB, Wei SM, Kohn PD, Rubinow DR, Alarcón G, et al. Abnormalities of dorsolateral prefrontal function in women with premenstrual dysphoric disorder: a multimodal neuroimaging study. Am J Psychiatry. 2013 Mar;170(3):305-14.

 

Deixe um comentário
Foto
Comentários
BrazilHealth
Mais Lidos
Corte no dedo: O que fazer? - Prof. Dr. Alvaro Cho
O corte no dedo é um dos principais acidentes domésticos do dia-a-dia. Os cortes ocorrem nas mais va...

Diferença entre limpar e umidificar o nariz. - Dr. Paulo Mendes Jr
Você sabe a diferença entre limpar, umidificar e aliviar o nariz? Especialista explica qual o melhor...

O que é Medicina Integrativa? - Editorial
Na contramão da medicina tradicional e ortodoxa, terapias alternativas estão ganhando cada vez mais ...

O PSA após a cirurgia ou a Radioterapia - Dr. Fernando Maluf
Você sabe qual é o valor do PSA que indica a volta do tumor após a cirurgia? Será que o PSA associad...


Relacionados
Tecnologia na Prática de Atividade Física - Dr. Claudio Pavanelli
A evolução tecnológica no auxílio da prática de atividade física. Você utiliza a tecnologia a favor ...

Dia Mundial da Luta contra AIDS - Redação
Há alguns anos, receber o diagnóstico de AIDS era uma sentença de morte. Mas hoje, é possível ser so...

Prevenção Cardíaca - Prof. Dr. Carlos Scherr
Alimentação equilibrada e atividade física regular são algumas das dicas que ajudam a previnir doenç...

Arritmias Cardíacas e suas Possíveis Abordagens - Dra. Denise Hachul
Entenda o que é a arritmia, as causas, os tipos, tratamentos e cirurgias.

BrazilHealth