logo
BrazilHealth
Fazer login
Home  >  Videos e artigos  >  T(D)PM não é frescura!
T(D)PM não é frescura!

Dr. Kalil Duailibi, Psiquiatria
Publicado em 21/05/2018 - Atualizado em 20/02/2019



O período que precede a menstruação é caracterizado pelo surgimento de sintomas psíquicos e físicos, como alteração de humor, irritabilidade e melancolia; além de dores de cabeça, inchaço e fadiga, para uma boa parte das mulheres. Esses sintomas são causados por uma alteração hormonal feminina que age diretamente no sistema nervoso central e gera diversos mal-estares. Porém, em casos mais graves, essa alteração passa de TPM para TDPM, a abreviação ganha apenas uma letra, mas a condição é bem mais complexa.

O Transtorno Disfórico Pré-Menstrual (TDPM) é uma forma grave da Síndrome Pré-Menstrual (SPM), que ocorre quando há pico de estrogênio – geralmente no primeiro dia antes da ovulação – e melhora com a menstruação. A prevalência do TDPM é de 2% a 8% da população feminina fértil e os sintomas do transtorno podem ser tão intensos que trazem prejuízo à rotina da mulher¹? ². De acordo com o psiquiatra Kalil Duailibi, o TDPM tem gravidade comparável à de outros transtornos mentais e não pode ser subestimado.

Estima-se que 1,3% das mulheres tenham prejuízo funcional devido ao TDPM e talvez nem saibam que sofrem do mal², que tem diagnóstico complexo e pode ser confundido com outros dois tipos de transtorno, o depressivo persistente e o bipolar. Para diagnosticar uma paciente corretamente com TDPM, os profissionais de saúde levam em consideração fatores de risco para desenvolvimento da doença, como: estresse, trauma interpessoal, herança genética (entre 30% e 80%), o não uso de contraceptivos orais, além de dois ciclos sintomáticos. 

“Ainda há pouco esclarecimento sobre as causas do TDPM, mas estudos apontam uma interação anormal entre neurotransmissores e hormônios ovarianos. Estes hormônios são capazes de ativar áreas cerebrais como o córtex pré-frontal e as relacionadas à recompensa e ao estresse. E essas ativações vêm sendo relacionadas ao desenvolvimento de sintomas do quadro. A variação do humor, irritabilidade, sintomas de ansiedade e a disforia compõem características fundamentais dessa condição e podem estar associados a sintomas comportamentais e físicos que atingem seu pico perto do início da menstruação, quando em geral começam a se atenuar ou cessam.

O tratamento

O tratamento para o transtorno é feito com correção das alterações hormonais; supressão ovulatória ou com o uso de inibidores seletivos da recaptação de serotonina (ISRS), como o escitalopram”, explica o psiquiatra. 

Caso tenha se identificado com a situação, procure auxílio médico e confirme ou descarte o diagnóstico.

Referência

¹American Psychiatric Association. Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders (DSM-5). Arlington, VA: American Psychiatric Publishing; 2013.

² Baller EB, Wei SM, Kohn PD, Rubinow DR, Alarcón G, et al. Abnormalities of dorsolateral prefrontal function in women with premenstrual dysphoric disorder: a multimodal neuroimaging study. Am J Psychiatry. 2013 Mar;170(3):305-14.

 

Deixe um comentário
Foto
Comentários
  1. Olá, moro no rio de janeiro e sofro de TDPM, tenho 28 anos, já procurei algumas ginecologistas mas nao conseguiram uma medicação certa, procuro uma orientação e um profissional para me ajudar, devido a esse transtorno não consigo ter uma vida saudável nesse período. Há meses que penso em acabar com minha vida por não achar um tratamento correto, peço que me oriente, preciso voltar a viver. Aguardo um retorno!! Atenciosamente, Juliana Matos.

BrazilHealth
Mais Lidos
Corte no dedo: O que fazer? - Prof. Dr. Alvaro Cho
O corte no dedo é um dos principais acidentes domésticos do dia-a-dia. Os cortes ocorrem nas mais va...

O PSA após a cirurgia ou a Radioterapia - Dr. Fernando Maluf
Você sabe qual é o valor do PSA que indica a volta do tumor após a cirurgia? Será que o PSA associad...

Substituição da Válvula Mitral e Aórtica - Dr. Jose Armando Mangione
A cirurgia para a substituição da válvula aórtica é um procedimento que vem ganhando cada vez mais e...

11 alimentos que reduzem o colesterol - Harvard Medical School
Recentemente cardiologistas brasileiros estabeleceram valores mais rígidos de colesterol ruim. Conhe...


Relacionados
Grandes cidades e o prejuízo na saúde respiratória - Dra. Zuleid Dantas Linhares Mattar
Quem vive em grandes cidades está diariamente exposto a estímulos prejudiciais para a saúde respirat...

Os alimentos aliados e inimigos da saúde dos ossos - Dra. Dai Cavalcanti
Muitas pessoas acreditam que para uma boa saúde óssea basta consumir alimentos ricos em cálcio, mas ...

Doenças do estilo de vida, sono e ar condicionado - Dr. Filippo Pedrinola
Substâncias químicas nos alimentos e dormir mal contribuem para sobrepeso

Dia do Nutricionista! - Dra. Patrícia Campos-Ferraz
Dia 31 de Agosto é o Dia do Nutricionista. Entenda mais sobre essa importante profissão!

BrazilHealth