logo
BrazilHealth
Fazer login
Home  >  Videos e artigos  >  Micose no verão: Cuidados para evita-lo
Micose no verão: Cuidados para evita-lo

Dr. Murilo Drummond, Dermatologista
Publicado em 06/01/2018 - Atualizado em 10/12/2018



O verão é a estação do ano preferida de muitos brasileiros. O clima favorável atrai inúmeras pessoas às praias, piscinas e cachoeiras. Mas, o clima quente e chuvoso também é propício para o desenvolvimento de fungos, uma vez que eles proliferam facilmente em altas temperaturas e na umidade. Em consequência dessas características, temos o risco de maior incidência de micoses e esse tipo de infecção pode atingir a pele, unhas e cabelos.

Os principais fungos causadores são os dermatófitos, a cândida e a chamada pitiríase versicolor (mais conhecido no senso comum como pano branco). Entre os sintomas, temos as que aparecem no corpo em forma de moedas e altas. Nos cabelos, elas podem causar alopecia (peladas definitivas no couro cabeludo, causadas pela queda de pelos). Nos pés, apresentam frieiras que podem se complicar com infecções bacterianas graves, como a erisipela. Nas unhas e na virilha, elas causam irritação e secreção, com grandes áreas irregulares que separam a pele boa da micose. A maioria proporciona muita coceira. Hoje em dia, o “pano branco”, como é vulgarmente chamado, causa manchas de várias cores no tronco e que realçam no sol, sendo muito resistente ao tratamento.

 

Os cuidados dependem do exame dermatológico, uma vez que alguns fungos são mais agressivos e não respondem somente aos cremes ou loções antimicóticas, sendo necessário associar tratamento via oral. Adiar a terapia pode disseminar a doença e colocar em risco as pessoas próximas. Portanto, ao primeiro sinal, o especialista deve ser consultado, lembrando que tratamentos caseiros são ineficazes.

Atenção com a higiene é essencial para prevenção

Pequenos cuidados podem servir de precaução:

-Utilização de toalhas de praia individuais e chinelos a fim de evitar contato direto com a areia.

-Pode-se evitar o aluguel de cadeiras de praia e o contato com animais domésticos desconhecidos.

-Após qualquer exposição de risco, é bom caprichar no banho com a utilização de sabonetes antissépticos. 

-Em relação ao vestuário, é bom dar preferência a roupas íntimas de puro algodão, pois absorvem melhor o suor.

-Também recomenda-se evitar a permanência de roupas úmidas e molhadas por muito tempo. 

Autor: Dr. Murilo Drummond, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia

Deixe um comentário
Foto
Comentários
BrazilHealth
Mais Lidos
Corte no dedo: O que fazer? - Prof. Dr. Alvaro Cho
O corte no dedo é um dos principais acidentes domésticos do dia-a-dia. Os cortes ocorrem nas mais va...

O PSA após a cirurgia ou a Radioterapia - Dr. Fernando Maluf
Você sabe qual é o valor do PSA que indica a volta do tumor após a cirurgia? Será que o PSA associad...

O que é Medicina Integrativa? - Editorial
Na contramão da medicina tradicional e ortodoxa, terapias alternativas estão ganhando cada vez mais ...

Diferença entre limpar e umidificar o nariz. - Dr. Paulo Mendes Jr
Você sabe a diferença entre limpar, umidificar e aliviar o nariz? Especialista explica qual o melhor...


Relacionados
Relação entre atividade Física e a Osteoporose - Mauro Vaisberg
Para fechar a semana da Osteoporose, convidamos o reumatologista Dr. Mauro Vaisberg a explicar a imp...

Junho - Mês da Luta contra o Melanoma - Dra. Ana Maria Fagundes Sortino
O Melanoma ganha destaque nesse mês. Vale a pena conhecer melhor esse tumor, aprendendo a preveni-lo...

Abusou no Reveillon? Veja como curar a ressaca! - Redação
A festa foi animada, amigos reunidos e bebidas para brindar a chegada do ano novo? Mas se você acord...

Dos transtornos alimentares à realidade - Dr. Maurício Hirata
A divulgação de padrões comportamentais e estéticos irreais pelas mídias sociais tem sido uma das pr...

BrazilHealth