logo
BrazilHealth
Fazer login
Home  >  Videos e artigos  >  Dermatofibrossarcoma Protuberante
Dermatofibrossarcoma Protuberante

Dra. Maria Cristina Messina, Dermatologista
Publicado em 09/12/2017 - Atualizado em 18/07/2018



O dermatofibrossarcoma protuberante é um tumor cutâneo raro, com baixo grau de malignidade, caracterizado pelo crescimento lento e alta tendência a recorrência local após retirada cirúrgica.

A lesão começa como um nódulo rosa ou placa avermelhada ou violácea, assintomática, geralmente no tronco, braços ou pernas, mais raramente na região da cabeça e pescoço. O aspecto é muito semelhante ao de uma cicatriz queloideana. O que chama a atenção é que a lesão vai crescendo lentamente. A principal faixa etária de incidência é dos 20 aos 50 anos de idade.

Antecedente de trauma como fator desencadeante é descrito em 10 e 20% dos casos. Vários relatos, todavia, descrevem o tumor desenvolvendo-se em cicatriz prévia de cirurgia, queimadura, imunização para BCG, bem como o crescimento rápido durante a gravidez.

O diagnóstico é feito por biópsia. O tratamento de escolha é a ressecção cirúrgica com amplas margens 3-5cm ou a cirurgia micrográfica de Mohs. Radioterapia pós-operatória é indicada em lesões cujas margens cirúrgicas não puderam ser alcançadas, como no caso de tumores em face, por exemplo.

A taxa de sobrevida em 5 anos é  de 92%. A maioria das recorrências é detectada dentro de três anos após a excisão primária, mas estas podem aparecer após 10 anos de operação. Devido à alta taxa de recorrência local, são recomendáveis reavaliações a cada seis meses, com realização de biópsias de áreas suspeitas. O desenvolvimento de metástases é raro, ocorrendo em menos de 4% dos pacientes, e normalmente é precedido por múltiplas recidivas após excisão inicial inadequada.

A única forma de reduzir a incidência de recorrência é o diagnóstico precoce e a excisão inicial ampla do tumor com seguimento pós-operatório regular e longo.

Deixe um comentário
Foto
Comentários
BrazilHealth
Mais Lidos
Diferença entre limpar e umidificar o nariz. - Dr. Paulo Mendes Jr
Você sabe a diferença entre limpar, umidificar e aliviar o nariz? Especialista explica qual o melhor...

Corte no dedo: O que fazer? - Prof. Dr. Alvaro Cho
O corte no dedo é um dos principais acidentes domésticos do dia-a-dia. Os cortes ocorrem nas mais va...

O que é Medicina Integrativa? - Editorial
Na contramão da medicina tradicional e ortodoxa, terapias alternativas estão ganhando cada vez mais ...

Marcapasso Cardíaco - Dra. Denise Hachul
Os marcapassos ajudam as pessoas que possuem ritmo cardíaco lento ou irregular a levarem vidas norma...


Relacionados
Cuidados bucais aos Cardiopatas - Dr. Laércio Vasconcelos
As bactérias da boca podem levar a formação de placas de ateroma, relacionadas à ocorrência do acide...

Exercício Físico: O Preço do Exagero - Prof. Dr. Elias Knobel
Já sabemos que a atividade física é fundamental para saúde. Mas você sabia que o exagero na sua prát...

As dores mais comuns do universo feminino - Dra. Denise Katz
Muitas mulheres brasileiras convivem com dores constantes. Mas você sabe quais são as dores mais com...

Mastectomia, cirurgia preventiva. Quando fazer? - Antônio Luiz Frasson
Você sabe quais são os tipos de mastectomia? Quando ela é indicada? Quando é indicada a remoção das ...

BrazilHealth