logo

BrazilHealth
Fazer login
Relação Alimentos e câncer de próstata

Fernanda Scheer, Nutricionista
Publicado em 10/11/2017 - Atualizado em 11/11/2017


Quais são os alimentos que estão associados à prevenção do câncer de próstata?

Tomate, goiaba vermelha e outras fontes de licopeno

O licopeno faz parte da família dos carotenoides, potentes antioxidantes que dão cor a alguns alimentos e têm demonstrado a capacidade de reduzir o risco de diferentes tipos de câncer. Entre todos os carotenoides existentes, o licopeno é aquele que apresenta a maior capacidade de funcionar como antioxidante, “sequestrando” o oxigênio singlet, uma molécula altamente reativa capaz de ocasionar enormes danos celulares. O licopeno absorvido acumula-se preferencialmente na próstata, impedindo a angiogênese (proliferação de vasos e capilares que nutrem as células doentes) e o crescimento de células tumorais nessa região, sendo este um potencial mecanismo na prevenção do câncer. Estudos epidemiológicos indicam uma correlação entre o consumo de licopeno e um menor risco para diversos tipos de câncer, em particular o de próstata. Um desses estudos mostrou uma redução de 40% dos riscos de câncer de próstata em homens que consomem alimentos ricos em licopeno por pelo menos cinco vezes por semana, em relação àqueles que consomem uma vez por semana ou menos.

Além do tomate e seus derivados (suco, sopa, molho etc.), a goiaba vermelha, a melancia, o pimentão, o mamão e a beterraba são outras importantes fontes de licopeno presentes na nossa dieta. Se forem orgânicos, melhor ainda.

Atenção: A quantidade do carotenoide é maior com aquecimento e quando combinado a uma pequena porção de gordura, de preferência do tipo monoinsaturada, como é o caso do azeite de oliva. Por essa razão, o molho de tomate com azeite de oliva cru é uma fonte mais interessante de licopeno do que o tomate in natura. Vale ressaltar que alguns estudos recentes mostraram que a goiaba vermelha brasileira oferece aproximadamente o dobro dos valores de licopeno observados no tomate.

Quantidade sugerida para consumo: De três a cinco porções por semana. Uma porção equivale a meio copo de molho de tomate ou uma unidade média de fruta.

Chá verde

Um terço do peso das folhas do chá verde é composto de uma classe de polifenóis chamada catequinas, e essas moléculas são as maiores responsáveis pelo potencial anticâncer do chá. Além de inibir o crescimento de células cancerosas, o chá verde parece agir contra os processos de angiogênese, o que reduz significativamente o desenvolvimento de tumores.

Atenção: Para obter os benefícios, é importante observar o tempo de infusão das folhas. O ideal é que seja de oito a dez minutos, não menos do que isso. Os chás mais ricos em moléculas anticâncer são os japoneses e devem ser ingeridos logo após o preparo.

Quantidade sugerida para consumo: Estudos mostram melhores resultados quando o consumo gira em torno de três a cinco xícaras ao dia, espaçadas e longe das refeições principais.

Cúrcuma

A cúrcuma (ou açafrão da terra ou cúrcuma longa ou tumeric, em inglês) é uma especiaria utilizada em abundância na Índia e na Indonésia, sendo talvez responsável pelos baixos índices de câncer desses países. Inúmeros estudos sugerem que a curcumina, o principal constituinte da cúrcuma, tem uma potente ação anti-inflamatória e antioxidante, inibindo o TNF-alfa (fator de necrose tumoral). Essa propriedade pode bloquear o crescimento de um número impressionante de células provenientes de tumores, impedindo a angiogênese e induzindo assim sua morte.

Atenção: A combinação de cúrcuma com a pimenta preta, intensifica a absorção da curcumina e, em um meio gorduroso é ainda mais favorável. Por isso, a combinação ideal para consumo seria: cúrcuma + pimenta preta + azeite de oliva extra virgem (cru).

Quantidade sugerida para consumo: Uma colher de chá de cúrcuma ao dia, adicionada a preparações como arroz, ovo, sopas, caldos, frango, peixes, de preferência associada à pimenta.

Vegetais crucíferos

Alimentos como couve-manteiga, brócolis, couve-flor, repolho e couve-de-bruxelas estão entre os principais responsáveis pelas propriedades anticancerígenas associadas ao consumo de frutas e legumes. Esse grupo de alimentos é rico em indol-3-carbinol, uma substância formadora de glicosinolatos, compostos que, por sua vez, formam os sulforanos, uma potente molécula anticancerígena liberada através da mastigação. Essa substância é capaz de agir diretamente no nível de células cancerosas, induzindo sua morte.

Atenção: O modo de preparo influencia diretamente a quantidade de glicosinolato presente no vegetal. É importante realizar um cozimento leve, em pouca água ou no vapor. Uma mastigação lenta é outro fator importante a ser observado.

Quantidade sugerida para consumo: Alguns estudos sugerem que três porções ou mais de crucíferas por semana podem ser mais eficazes contra o câncer de próstata do que o consumo de tomate. O suco verde feito de um vegetal e uma fruta com água ou água de coco é uma ótima maneira de enriquecer a alimentação com esse grupo de alimentos.

Romã

Estudos americanos recentes mostraram que algumas substâncias presentes no suco de romã parecem inibir o movimento das células cancerosas e impedir que o câncer de próstata cause novos focos de tumor. Foi detectada também uma diminuição dos níveis de PSA em pacientes que tomavam frequentemente esse suco, o que sugeriu que a bebida poderia retardar potencialmente o desenvolvimento do câncer.

Quantidade sugerida para consumo: Um copo de suco de romã ao dia.

Alho e cebola

De acordo com uma pesquisa americana, o risco de desenvolver câncer de próstata é 50% menor em homens que comem mais alho e cebola do que naqueles que quase não os consomem. O responsável pelos benefícios seria um composto sulfuroso, o allium, que também é responsável pelo cheiro característico do alho e da cebola. Esses alimentos podem frear o desenvolvimento do câncer tanto por sua ação protetora contra os danos causados pelas substâncias cancerígenas quanto por sua capacidade de impedir o crescimento de células cancerosas.

Quantidade sugerida para consumo: A quantidade diária de consumo sugerida são dois dentes médios de alho cru ou moderadamente cozido e meia xícara de chá de cebola moída.

Vinho tinto

Os efeitos benéficos do vinho tinto se devem a um antioxidante chamado resveratrol, que é encontrado em inúmeras plantas, incluindo a casca de uva, framboesas e amoras. O resveratrol ajuda a matar células cancerígenas por inanição, inibindo a ação de uma proteína que as nutre, o que reduz a progressão da doença.

Atenção: Vale ressaltar que qualquer excesso neutraliza os benefícios e que o consumo de qualquer tipo de bebida alcoólica durante o tratamento da doença deve ser feito apenas quando não houver contraindicação médica.

Quantidade sugerida para consumo: Estudos recentes indicam que uma taça de vinho tinto ao dia pode provocar uma redução de 40% dos riscos de desenvolver câncer de próstata.

Própolis

Com um teor impressionante de flavonoides, uma classe de antioxidantes, o própolis apresenta propriedades antimicrobianas, anti-inflamatórias, antivirais e antitumorais. Estudos demonstram uma capacidade de redução da inflamação crônica associada à hiperplasia benigna da próstata (HPB), o que beneficia a prevenção e o tratamento dessa doença.

Quantidade sugerida para consumo: A dose diária sugerida é de 30 gotas de extrato de própolis a 30%.

Pimenta

De acordo com pesquisas americanas, a capsaicina, substância responsável pelo sabor ardido da pimenta, tem a capacidade de inibir a proliferação celular descontrolada e induzir a apoptose (morte celular programada) de células malignas do câncer de próstata. Testes mostraram que a substância fez com que 80% das células de câncer de próstata iniciassem o processo que as leva à morte. A capsaicina também tem efeitos na redução da quantidade de PSA.

Atenção: O consumo exagerado de pimentas ardidas está associado a problemas digestivos e ao aumento dos riscos de câncer de estômago.

Quantidade sugerida para consumo: A capsaicina é encontrada nas pimentas malagueta, cayenne, jalapeño e dedo-de-moça, entre outras. No entanto, a quantidade da substância varia de espécie para espécie. A recomendação é o consumo de até 30 mg ao dia de capsaicina para que se obtenha o efeito terapêutico. Isso é equivalente a ingerir até seis unidades de pimenta dedo-de-moça, três unidades de pimenta jalapeño ou até meia pimenta malagueta.

Quais alimentos devem ser evitados por pessoas que querem diminuir os riscos de desenvolvimento do câncer de próstata?

Carne vermelha

Pesquisas evidenciam uma relação importante entre o consumo de carne vermelha e o aumento do risco de formas agressivas de câncer da próstata. Os alimentos defumados e as carnes bem passadas e submetidas a altas temperaturas, como as usadas em churrascos, são as que representam maiores riscos.

Leite de vaca

Segundo pesquisas feitas na Islândia, homens que ingerem grandes quantidades de leite de vaca na adolescência têm um risco três vezes maior de desenvolver câncer de próstata avançado quando adultos.

Embutidos

Alimentos embutidos (como presunto, salame, linguiças), enlatados e defumados - são ricos em nitritos e nitratos, substâncias químicas que asseguram a conservação e a aparência dos alimentos, mas que, no estômago, transformam-se em nitrosaminas, um potente agente cancerígeno.

Frituras

Os alimentos, quando fritos, produzem acroleína, uma substância potencialmente carcinogênica e diretamente relacionada à incidência de câncer de próstata.

Alimentos industrializados

O consumo frequente e excessivo dos corantes, conservantes, acidulantes e adoçantes presentes nesses alimentos podem estimular a formação e o desenvolvimento de diferentes tipos de câncer, além de acidificar o organismo, um meio propício para o aparecimento e desenvolvimento de neoplasias.

     

 

Carboidratos

Se consumidos em excesso, levam ao hiperinsulinismo e à inflamação crônica, duas situações que favorecem o aumento da incidência de neoplasias. 

Quais alimentos devem ser consumidos por pacientes já portadores do câncer de próstata e por quê?

Os mesmos alimentos que previnem podem contribuir para o tratamento dos pacientes acometidos pela doença.

Cúrcuma

Estudos mostram que o consumo frequente desse tempero pode prevenir a metástase das células cancerosas.

Vegetais crucíferos

Vegetais crucíferos como brócolis, couve-manteiga, repolho e couve-flor são ricos em indol-3-carbinol, uma substância que tem se mostrado eficaz na diminuição de proliferação das células cancerosas.

Romã

Pesquisadores descobriram que substâncias ativas no suco de romã têm impacto na adesão e na migração de células cancerosas no câncer de próstata já em estado de metástase.

Goiaba vermelha e molho de tomate

São ricos em licopeno, um carotenoide inibidor da proliferação de células tumorais.

Alho e cebola

Demonstram a capacidade de impedir o crescimento das células cancerosas.

Pimenta

Seu consumo pode inibir os níveis de PSA e a proliferação descontrolada de células malignas.

Chá verde

Estudos mostram a capacidade de inibição do crescimento de células cancerosas. Parece atuar também na redução dos níveis de testosterona presente no corpo, hormônio que beneficia a progressão do câncer de próstata.

Carboidratos de baixo índice glicêmico

Aveia, batata-doce, arroz integral, quinoa em grãos e leguminosas são exemplos de carboidratos que não promovem um aumento rápido de glicemia, controlando assim a liberação da insulina.

Alimentos alcalinizadores

Limão (que, apesar do sabor ácido, tem efeito extremamente alcalino no organismo), frutas, legumes e verduras de um modo geral, além de sementes. Estudos mostram que um meio alcalino favorece o desenvolvimento e a oxigenação de células sadias.

Alimentos ricos em polifenóis

Um recente estudo avaliou o papel do Pomi-T, um composto de romã, chá verde, brócolis e cúrcuma, duas vezes ao dia, em comparação a placebo em 199 pacientes com câncer de próstata de risco baixo que optaram por observação vigilante. Os pacientes que ingeriram o Pomi-T em cápsulas tiveram um aumento médio do PSA de somente 14%, em comparação a 78% naqueles que tomaram placebo. Além disso, apenas 8% os pacientes que tomaram Pomi-T abandonaram a observação vigilante para se submeter a tratamentos cirúrgicos ou radioterápicos. No grupo que tomou placebo, esse índice foi de 27%. Com base nesses dados, recomenda-se o uso de Pomi-T aos pacientes com câncer de próstata em observação vigilante. O Pomi-T é importado para o Brasil e pode ser comprado em sites na Internet.

Quais são as orientações gerais para quem quer evitar os riscos de adquirir a doença?

– Incluir no cardápio quatro a cinco vezes na semana alimentos como brócolis, couve-flor, couve-manteiga, repolho, molho de tomate, goiaba vermelha, melancia, linhaça dourada, semente de chia, chá verde, cebola e alho, suco de romã, castanha-do-pará, nozes, amêndoas, vinho tinto (uma taça), própolis e temperos como pimenta e cúrcuma.

– Evitar o consumo exagerado de carne vermelha, substituindo-a pelas carnes brancas, como peixes e frango.

– Evitar o consumo exagerado de leite de vaca e seus derivados, substituindo-os por leites vegetais, como os de amêndoas e coco caseiros. Para garantir bons níveis de cálcio no organismo, é importante intensificar o consumo de outros alimentos ricos nesse mineral, como feijões, gergelim, vegetais verde-escuros (couve, brócolis, espinafre), sardinha, atum e iogurte fresco.

– Evitar o consumo de alimentos refinados (pão, macarrão, arroz), substituindo-os pelas versões integrais ou sem glúten.

– Evitar o consumo de excessivo de alimentos ricos em açúcar, sal, gordura trans e os alimentos industrializados em geral.

– Consumir com frequência alimentos ricos em fibras, como frutas (com casca e bagaço), legumes (incluindo os talos), cereais integrais (aveia, quinoa, chia, trigo integral, amaranto) e leguminosas (feijão, lentilha, grão-de-bico).

– Restringir ao máximo o consumo de carnes de churrasco muito bem passadas.

– Cortar o consumo de embutidos (salame, presunto, linguiça, peito de peru), enlatados, defumados, optando por proteínas mais nutritivas, como frango desfiado, ovo ou queijo branco fresco.

– Controlar o consumo de carboidratos refinados e de alto índice glicêmico.

– Procurar incluir alimentos alcalinos diariamente no cardápio, por exemplo, frutas e verduras em abundância, sumo do limão, sementes e águas alcalinas.

– Controlar o peso, pois um estudo revelou que homens acima do peso e que foram diagnosticados tardiamente com câncer de próstata têm mais chances de morrer da doença do que homens com peso saudável.

– Evitar o consumo de alimentos e bebidas em embalagem plásticas e jamais usá-las para aquecer alimentos, pois o plástico libera uma substância chamada bisfenol A, que, quando consumida em excesso, pode causar anomalias hormonais e diferentes tipos de câncer.

– Praticar uma atividade física regular (de 45 minutos a uma hora, no mínimo três vezes na semana).

– Não fumar.

– Não comer em excesso.

– Expor-se ao sol por dez a 15 minutos ao dia, sem protetor solar, antes das 10 h e depois das 16 h.

– Controlar o estresse.

 

Fonte: MALUF, Fernando Cotait. Vencer o Câncer de Próstata. Sao Paulo: Dendrix, 2014.

BrazilHealth
Preocupações com a saúde sexual - Editorial
Os problemas sexuais são muito comuns, mas muitas vezes somos influenciados por uma imagem exagerada...

Diabetes: Mitos e Verdades - Editorial
Muito se lê e ouve falar sobre a diabetes e as vezes não sabemos o que é verdadeiro e o que falso. A...

Como o diabético pode ter melhor qualidade de Vida - Dr. Maurício Hirata
Há 30 anos o rótulo ‘Diabetes’ era praticamente uma sentença de morte lenta e dolorosa. Mas hoje em ...

A Maior Epidemia do Mundo? - Dr. Maurício Hirata
Hoje é o Dia Mundial de Combate ao Diabetes - doença que virou uma verdadeira epidemia no mundo. A i...

O que é, Tipos, Causas, Diagnóstico, Tratamentos - Especial
O tema dessa semana é DIABETES, uma doença que atinge mais de 7% da população brasileira. Para abrir...

BrazilHealth