logo
BrazilHealth
Fazer login
Home  >  Videos e artigos  >  O PSA após a cirurgia ou a Radioterapia
O PSA após a cirurgia ou a Radioterapia

Dr. Fernando Maluf, Oncologia (clínico)
Publicado em 08/11/2017 - Atualizado em 22/05/2018



Qual é o valor do PSA que indica a volta do tumor após a cirurgia e a radioterapia?

Após a cirurgia Os valores do PSA acima de 0,2 a 0,4 ng/mL já podem ser devidos, na maioria das vezes, à volta do tumor. O resultado, no entanto, deve ser sempre confirmado posteriormente, por meio de três exames seguidos. O intervalo entre eles deve ser de pelo menos duas semanas (Figura 1A).

 

Após a radioterapia

Elevações do PSA acima de 2 a 3 ng/mL, em relação à menor taxa atingida após a radioterapia, sinalizam, na maioria das vezes, a volta do tumor. Da mesma forma que ocorre nos casos pós-cirúrgicos, o resultado deve ser confirmado em três diferentes momentos, com intervalo de pelo menos duas semanas entre os exames (Figura 1B).

 

O PSA associado ao câncer é sempre indicador de que a doença se agravou e pode ameaçar a vida?

Nem sempre. Um estudo conduzido por pesquisadores americanos com 500 homens cujo PSA aumentou mesmo depois da cirurgia mostrou que o tempo necessário para que algum sinal da doença surgisse em exames de imagem foi em média de 10 anos. Esse resultado é importante para mostrar de forma bastante clara como o exame de PSA é sensível em detectar apenas a recidiva (a volta do tumor) com base em poucas células malignas. Mas o fator determinante no surgimento de metástases não foi o PSA inicial aumentado, mas o tempo em que o PSA dobrou seus valores ao longo do tempo. Quanto mais rapidamente o valor do PSA se duplica, mais agressivo o tumor e maior o risco de metástases. Por outro lado, quanto mais lenta a duplicação do valor do PSA, menos agressivo o tumor e menor a possibilidade de metástases, mesmo em períodos acima de 20 anos (Figura 2). Os pacientes com mais chances de complicações da doença após a recidiva do PSA são aqueles com maior expectativa de vida: os jovens ou aqueles sem graves problemas de saúde. Já entre os mais idosos ou aqueles com outros problemas relevantes de saúde (infarto prévio, diabetes complicado, derrame cerebral), a volta da doença descoberta pela simples elevação do PSA raramente ameaça a vida.

 

Em qual região do organismo o PSA associado ao câncer é produzido?

Há três possibilidades. O PSA pode ser produzido por células malignas prostáticas próximas da área tratada pela cirurgia ou pela radioterapia, longe da área tratada pela cirurgia ou pela radioterapia, ou em ambos os lugares. Caso esteja em uma região do corpo distante da área tratada, os locais mais prováveis são os linfonodos da pelve ou do abdômen e os ossos (Figura 3).

 

Quais são as formas de tratamento quando o PSA aumenta após a cirurgia?

Quando se considera mais provável que o tumor ainda esteja localizado na área previamente tratada pela cirurgia, existem três formas de tratamento (Figura 6).

 

Quais são as formas de tratamento quando o PSA aumenta após a radioterapia?

Existem seis formas de tratamento nesta situação (Figura 7): cirurgia de resgate, crioterapia e HIFU (em português, termoablação), braquiterapia, hormonioterapia e observação vigilante.

 

Fonte: MALUF, Fernando Cotait. Vencer o Câncer de Próstata. Sao Paulo: Dendrix, 2014.

Deixe um comentário
Foto
Comentários
  1. 1 ano apos 43 radio meu psa foi ;2,36/2,76/6,2/7,8/10,81 o que posso fazer obrigodo

BrazilHealth
Mais Lidos
Diferença entre limpar e umidificar o nariz. - Dr. Paulo Mendes Jr
Você sabe a diferença entre limpar, umidificar e aliviar o nariz? Especialista explica qual o melhor...

Corte no dedo: O que fazer? - Prof. Dr. Alvaro Cho
O corte no dedo é um dos principais acidentes domésticos do dia-a-dia. Os cortes ocorrem nas mais va...

Marcapasso Cardíaco - Dra. Denise Hachul
Os marcapassos ajudam as pessoas que possuem ritmo cardíaco lento ou irregular a levarem vidas norma...

O que é Medicina Integrativa? - Editorial
Na contramão da medicina tradicional e ortodoxa, terapias alternativas estão ganhando cada vez mais ...


Relacionados
Tireoide: tratar ou não tratar? - Dr. Maurício Hirata
Entenda quais são as doenças da tireoide, como diagnosticá-las e tratá-las.

Intolerância à Lactose na Infância - Priscila Maximino
Apesar de não ser muito comum, alguns bebês podem apresentar intolerância à lactose. Veja o que faze...

Viagem longa de avião te causa desconforto? - Redação
Viajar longas horas é desconfortável e requer alguns cuidados com a saúde. Por isso preparamos algum...

Desnutrição intra-uterina - Dra. Mônica Beyruti
A nutricionista Dra. Mônica Beyruti explica o que é a desnutrição intra-uterina, suas consequências ...

BrazilHealth