logo
BrazilHealth
Fazer login
Home  >  Videos e artigos  >  Aprender brincando, é possível?
Aprender brincando, é possível?

Dra. Denise Katz, Pediatra
Publicado em 26/03/2018 - Atualizado em 20/11/2019



Sempre que nascem filhos, surgem também pais engajados em apresentar o melhor do mundo aos pequenos e, são tantos os elementos a desenvolver: motor, linguagem, social, afetivo, adaptativo e cognitivo. Mas o que poucos sabem é que as brincadeiras não servem apenas para entreter a criançada. Brincar também contribui para o desenvolvimento do córtex e cria conexões cerebrais. A pediatra Denise Katz selecionou algumas atividades para divertir e ensinar a criançada. Confira: 

Leitura, escrita e desenhos: Durante toda a infância é importante estimular atividades e brincadeiras lúdicas nas crianças, pois elas contribuem para o desenvolvimento da linguagem, atenção, imaginação, curiosidade, concentração e memória, além de fortalecer o vínculo entre criança e pais. 
Bonecos de dedo tornam o ato de contar histórias mais interessante; desenhar, escrever e pintar sobre personagens preferidos da criança contribui para a adesão da brincadeira. Este tipo de atividade é indicado para crianças a partir dos 5 anos de idade.

Jogo da memória, quebra cabeça e xadrez: Os jogos estimulam habilidades como concentração, lógica, formulação de estratégias e autoconfiança. As atividades lógicas contribuem para que a criança seja capaz tomar decisões em situações que exijam raciocino rápido, promove a vontade de vencer e a vivência com vitórias e derrotas. Que tal promover as atividades junto às lições de casa? Torne esse momento de aprendizagem em algo divertido. Este tipo de atividade é indicado para crianças a partir dos 7 anos de idade.

Esconde-esconde, pega-pega e queimada: estas brincadeiras estimulam a coordenação, noção de espaço e perspicácia da criança, que cria estratégias para não ser pego, além de estimular que a criança se supere fisicamente.  Por ser uma atividade realizada em conjunto com outras crianças, motiva a socialização com os colegas. Estimule que seu filho conheça amigos da vizinhança e pratiquem as brincadeiras em lugares seguros. Este tipo de atividade é indicado para crianças a partir dos 6 anos de idade.

“O desenvolvimento cognitivo da criança depende da boa desenvoltura de funções como a linguagem, coordenação motora e suporte afetivo-emocional. Para garantir que a criança tenha uma boa evolução, estimule o seu filho desde cedo, ainda no primeiro ano de vida, com brincadeiras, jogos, leituras e conversas. A brincadeira em qualquer idade ajuda a moldar o cérebro, fortalece as relações socioafetivas, promove a criatividade e a imaginação. Nas crianças maiores, o brincar explora aspectos como autocontrole, cooperação e negociação, estabelece regras e limites, e estimula que a criança aprenda a lidar com derrotas. Além das brincadeiras, é importante que os pais cuidem da alimentação dos pequenos para um desenvolvimento completo, alimentos ou suplementação ricos em Ômega 3, comprovadamente auxiliam na formação de sinapses cerebrais.  As crianças que tiveram boa alimentação e suplementação de DHA vão ter sim melhor capacidade de aprendizagem, melhor linguagem, melhor memória e melhor percepção.”, explica a pediatra.

Deixe um comentário
Foto

Repita os caracteres a seguir no campo de texto abaixo:
Comentários
BrazilHealth
Mais Lidos
11 alimentos que reduzem o colesterol - Harvard Medical School
Recentemente cardiologistas brasileiros estabeleceram valores mais rígidos de colesterol ruim. Conhe...

Substituição da Válvula Mitral e Aórtica - Dr. Jose Armando Mangione
A cirurgia para a substituição da válvula aórtica é um procedimento que vem ganhando cada vez mais e...

O PSA após a cirurgia ou a Radioterapia - Dr. Fernando Maluf
Você sabe qual é o valor do PSA que indica a volta do tumor após a cirurgia? Será que o PSA associad...

Corte no dedo: O que fazer? - Prof. Dr. Alvaro Cho
O corte no dedo é um dos principais acidentes domésticos do dia-a-dia. Os cortes ocorrem nas mais va...


Relacionados
Os 3 problemas mais comuns da gengiva - Dr. Marcelo Jacob
Você sabia que as doenças gengivais e periodontais são as mais comuns do mundo? Saiba quais são os 3...

Por que o suor das axilas tem mau cheiro? - Dra. Ana Maria Fagundes Sortino
A Dra. Ana Maria Sortino, médica dermatologista, com mestrado stricto sensu em Oncologia, explica po...

Dos transtornos alimentares à realidade - Dr. Maurício Hirata
A divulgação de padrões comportamentais e estéticos irreais pelas mídias sociais tem sido uma das pr...

Intestino e Saúde - Dra. Patrícia Campos-Ferraz
O intestino é um órgão que além de digestão, absorção e excreção dos alimentos, ele tem muitas outra...

BrazilHealth